Destaque Educação
Publicado em 28/08/2017 às 10:07 - Autor:

SUMARÉ: Por meio de projeto pioneiro em Sumaré, educadores da Rede Municipal recebem capacitação

suma agosto

“Eu fiquei muito feliz em conhecer o projeto que está sendo implantado em Sumaré, pioneiro na região. O apoio às crianças com dificuldades escolares é muito importante, a maioria das pessoas demora a ter o diagnóstico e isso traz muitos problemas”. Este é depoimento da mãe e empresária Raquel Marques, com relação ao projeto da Prefeitura de Sumaré de capacitar os professores da rede municipal de ensino para identificar a Síndrome de Irlen nos alunos. O filho de Raquel foi diagnosticado com essa doença depois do alerta dos professores sobre as dificuldades de aprendizagem apresentadas pelo menino.

A capacitação para os educadores de Sumaré foi realizada na noite de quarta-feira, dia 23 de agosto, na Escola Municipal José de Anchieta. A psicóloga do Cirase (Centro Integrado de Recurso e Aprendizagem de Saúde Escolar), Luciana Moço Santaclara, ministrou palestra sobre a Síndrome de Irlen e outras alterações na percepção visual dos alunos. Ela recebeu o treinamento pelo Hospital de Olhos de Belo Horizonte, em Minas Gerais.

A Síndrome de Irlen é um distúrbio na área do cérebro responsável pelas funções visuais. Muitas vezes confundido com dislexia, o problema é marcado por falta de adaptação ao contraste, como claro e escuro, e distorção da percepção na leitura, como se texto e palavras estivessem tremendo.

“Essa síndrome é pouco conhecida e afeta muito a aprendizagem, visto que 90% da informação nos atinge pela via visual. Não se trata de uma doença que afeta a acuidade visual, mas o processamento dessas informações no cérebro. Pode ocorrer uma dificuldade enorme de percepção, por meio da sensibilidade à luz. Muitas pessoas enxergam normalmente, mas apresentam distorções que as impedem de identificar letras, causam dificuldades de atenção e compreensão de palavras e textos. Algumas pessoas podem apresentar tonturas e cefaléias decorrentes de tais dificuldades e, nos casos graves, pode haver problemas relacionados à coordenação motora e espaço-temporal”, explicou a psicóloga.

“Além de entender sobre a síndrome e seus sinais, nossos educadores também receberam orientações de como será feito o trabalho junto aos alunos. A Luciana ajudará no diagnóstico da síndrome, indicando o tratamento adequado e auxiliando a reduzir os problemas que o aluno possa ter em aprender, garantindo uma Educação com mais qualidade em Sumaré”, disse a secretária municipal de Educação, Mirela Cia Medeiros.

“Sumaré tem sido pioneira e inovadora na região em diversos projetos envolvendo saúde e educação. O Samuzinho já capacitou cerca de 1.500 professores da nossa rede em primeiros-socorros, para que eles possam agir corretamente com as nossas crianças em caso de acidentes ou algum mal-estar dentro da escola. Agora, os profissionais recebem essa nova capacitação, sobre a Síndrome de Irlen. Além de ajudar no diagnóstico, nossos educadores também vão trabalhar com os alunos para que tenham o melhor aproveitamento escolar possível”, finalizou o prefeito Luiz Dalben.

Fonte: sumare.sp.gov.br

Comentários