Destaque Mundo
Publicado em 21/11/2017 às 6:54 - Autor:

MUNDO: Chamadas de satélite não partiram de submarino desaparecido na Argentina, diz Marinha

sub

Por G1

Pelo menos 400 sinais foram analisados, mas nenhum deles corresponde aos do submarino ARA San Juan. Porta-voz afirmou que embarcação informou problema elétrico antes de sumir.

Submarino militar argentino ARA San Juan é visto deixando o porto de Buenos Aires (Foto: Armada Argentina/Handout via Reuters)

A Marinha da Argentina afirmou, nesta segunda-feira (20), que as sete chamadas de satélite detectadas no último sábado (18), não foram feitas pelo submarino militar ARA San Juan, como se acreditava inicialmente.

A informação foi confirmada pelo porta-voz da Marinha, Enrique Balbi. As chamadas, detectadas no sábado, eram vistas pelas equipes de buscas como uma sinal de esperança de que os 44 tripulantes que estão dentro da embarcação poderiam ser encontrados.

Segundo a Marinha, pelo menos 400 sinais emitidos no espectro da área de operações foram analisados, mas nenhum deles corresponde aos emitidos pelo submarino ARA San Juan. Nesta segunda, fontes da CNN afirmaram que um sistema de radar teria detectado sons emitidos pelo submarino.

Equipes de resgate correm contra o tempo para encontrar o submarino argentino

Equipes de resgate correm contra o tempo para encontrar o submarino argentino

De acordo com Balbi, as condições meteorológicas adversas – com vento forte, temporais e ondas de até 6 metros de altura – na região de buscas também dificultam uma eventual localização visual do submarino.

Treze embarcações e dez aeronaves trabalham nas buscas, que se estendem desde sexta-feira (17) e contam com ajuda internacional.

Na América do Sul, os governos do Brasil, Chile, Uruguai e Peru ofereceram assistência. O Reino Unido ofereceu suporte logístico. A África do Sul também ofereceu apoio.

Problema elétrico

O submarino militar ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15), quando estava no sul do Mar Argentino, a 432 quilômetros da costa patagônica do país.

Gabriel Galeazzi, um comandante naval, disse aos repórteres que o submarino veio à tona e comunicou um problema elétrico antes de sumir. “O submarino emergiu e relatou um mau funcionamento, e é por isso que seu comando terrestre ordenou que ele voltasse à sua base naval em Mar del Plata”, afirmou.

Galeazzi disse que é normal submarinos sofrerem com o mau funcionamento dos sistemas. “Um navio de guerra tem muitos sistemas auxiliares, para que se passe de um para outro quando há uma pane”, explicou.

De acordo com a Marinha da Argentina, a principal hipótese é que teria acontecido um problema no equipamento de comunicação do submarino. Segundo o protocolo, em caso de falha nesse equipamento, o submarino deve subir à superfície para viabilizar o contato visual.

Todas as estações no litoral atlântico argentino estão em alerta para possíveis frequências de transmissão do submarino, que deveria informar sua posição a cada 28 horas.

O “ARA San Juan” é um dos três submarinos da Marinha argentina, que o incorporou em 1985. Trata-se de um tipo TR-1700, construído no estaleiro Thyssen Nordseewerke de Edemen, na Alemanha, e colocado na água em 20 de junho de 1983.

Submarino desaparece na Argentina com 44 tripulantes a bordo: veja detalhes sobre a busca (Foto: Juliane Souza/G1) Submarino desaparece na Argentina com 44 tripulantes a bordo: veja detalhes sobre a busca (Foto: Juliane Souza/G1)

 

 

Comentários