Destaque Saúde
Publicado em 27/07/2017 às 11:00 - Autor:

Gêmeas siamesas unidas pelo crânio serão separadas em Bangladesh

This photo taken on July 25, 2017 shows Bangladeshi conjoined twins baby girls Rabia and Rukia during their visit to a hospital in Dhaka. Bangladeshi twins born conjoined at the skull will undergo a difficult and potentially dangerous operation to separate their bodies, surgeons said July 26 as they appealed for help from global medical experts. Doctors are trying to establish whether the one-year-old girls, born otherwise healthy in northwest Bangladesh, share the same brain, something that would vastly complicate the surgery.
 / AFP / Munir UZ ZAMAN
Os pais das meninas, ambos professores, mudaram-se para Daca após o nascimento de Rabia e Rukia, na tentativa de obter ajuda médica

 

Por: AFP – Agence France-Presse

Publicado em: 26/07/2017 19:31 Atualizado em: 26/07/2017 19:34

 

Em casos raros, gêmeos idênticos podem nascer com a pele e com certos órgãos internos ligados. Foto: Munir Uz Zaman/AFP
Gêmeas siamesas unidas pelo crânio vão passar por uma difícil e potencialmente perigosa operação para separá-las – informaram os cirurgiões nesta quarta-feira (26), que pediram ajuda da comunidade médica internacional. Os médicos tentam determinar se as meninas, de um ano de idade, nascidas no noroeste de Bangladesh, compartilham um único cérebro. Esse elemento pode complicar muito a cirurgia.
“Seria uma cirurgia muito delicada e sensível”, indicou o chefe de cirurgia pediátrica Ruhul Amin, do Bangabandhu Sheikh Mujib Medical University, da capital, Daca. “Estamos avaliando sua condição e tentando entrar em contato com especialistas em todo mundo para obter opiniões e ajuda”, declarou.
Os pais das meninas, ambos professores, mudaram-se para Daca após o nascimento de Rabia e Rukia, na tentativa de obter ajuda médica. Amin informou que as meninas estão saudáveis, mas disse que precisa de mais tempo para estudar o caso, de modo a reduzir os riscos da cirurgia a um mínimo.
Antes do nascimento, os pais sequer sabiam que esperavam gêmeos, umas vez que os exames não mostraram qualquer anormalidade, ou evidência de dois bebês, explicou o pai, Rafiqul Islam. “O médico só mencionou um feto com uma cabeça grande”, disse à AFP.
Os pais querem que suas filhas tenham “uma vida melhor”, apesar das consequências potencialmente fatais da cirurgia. “A maioria das pessoas vem visitar minhas filhas com compaixão, ou escárnio, em seus olhos, algo que é intolerável para um pai”, acrescentou. “Quero ter fé em Deus e nos cirurgiões para que as minhas filhas passem por uma cirurgia bem-sucedida e, eventualmente, tenham uma vida normal”, desabafou.
Em casos raros, gêmeos idênticos podem nascer com a pele e com certos órgãos internos ligados. Cerca de metade nasce morta, e a taxa de sobrevivência é entre 5% e 25%. Em 2008, morreu em Bangladesh um bebê que nasceu com duas cabeças.
Fonte: diariodepernambuco.com.b

Comentários