Destaque Esportes
Publicado em 11/05/2017 às 15:22 - Autor:

FUTEBOL : ‘Messi iraniano’ vira sensação em seu país e acaba na delegacia

messi

Polícia considera que o jovem, sósia do astro do futebol, altera a ordem pública

Reza Parastesh fazendo-se passar por Messi, nesta segunda-feira em Teerã. AFP

Os seguidores de Lionel Messi acreditam que ele seja um fenômeno único. Mas Reza Parastesh, seu sósia iraniano, prova que o craque argentino tem pelo menos uma cópia física fiel. E que a fama causa problemas não só para as celebridades, mas também para os dublês. Foi o que aconteceu domingo passado em Hamadã (cidade 400 quilômetros a sudoeste de Teerã), quando uma multidão bloqueou o trânsito pensando que se tratava do ídolo do Barcelona– e obrigou a polícia a intervir. Ante a avalanche de seguidores que tentavam fazer um selfie com o suposto atleta, os agentes optaram por levá-lo à delegacia e confiscar seu carro para dispersar o tumulto.

Reza Parastesh é tão parecido com Messi que até a rede de TV Eurosport, do Reino Unido, usou por engano sua foto no Twitter. A história que o levou a se tornar famoso começou há poucos meses, quando seu pai, apaixonado por futebol, pendurou uma foto sua com a camisa 10 do Barça num site esportivo. Logo após a publicação da imagem, o estudante de 25 anos já recebia as primeiras ofertas. Começou a exibir o mesmo corte de cabelo e a mesma barba do autêntico astro para se parecer ainda mais com ele.

“Agora as pessoas me chamam de Messi do Irã e pedem que eu imite tudo o que ele faz. Ficam muito surpresas ao me ver. Gosto de fazê-las felizes. Isso me dá muita energia”, declarou o jovem à agência France Presse.

Parastesh, que já assinou vários contratos como modelo, agora treina com a bola para dar uma imagem mais fiel aos espectadores. “Messi é o melhor jogador da história. Claramente tem muitas coisas para administrar. Eu poderia representá-lo quando estiver sobrecarregado”, afirma o sósia, que sonha conhecer o herói. Inclusive diz ter recebido um convite do jogador para viajar a Barcelona.

Fonte : El Pais

Comentários